segunda-feira, 23 de julho de 2007

Adeus


Eu não sei como tudo se tornou tão extraordinário para você e ao mesmo tempo tão monótono para mim. Acabou. Eu não quero saber se isso te deixou triste, impaciente ou se te fez cair lágrimas. Não há porque de um último beijo, uma última transa, não há desejo, muito menos amor. Nós passamos tão pouco tempo juntos, e o que era mais ou menos interessante se tornou cansativo e sem sabor. Eu não te culpo por me ligar de madrugada chorando, por me chamar de estúpido, ridículo e atirar todas suas lamentações em minha direção. Não há palavras a serem ditas, nem mesmo objetos esquecidos, portanto não me venha com esse mundaréu de desculpas esfarrapadas por que não nós veremos mais.

Fique com meus amigos, freqüente os meus lugares favoritos, faça da sua vida o que bem entender, e pelo menos por agora não tente ser minha melhor amiga. Me deixe em paz. Eu preciso descobrir novas pessoas, novos lugares, novos amores. Você não vai morrer, isso passa. Acorde cedo, regue as plantas, dê comida pro cachorro, que por sinal é chato pra caramba. Ocupe seu tempo, mas por favor não pense em mim, nem em tudo que passou. Não tente me fazer ciúmes, isso já se tornou cômico. Faça aquelas coisas que dizia morrer de vontade e nunca tinha tempo. Visite seus parentes, e não ligue de dizer que acabou quando eles perguntarem por mim. Transe. Procure meu corpo em outros corpos. Eu sou mais um dentre tantos outros.

14 comentários:

Anônimo disse...

Bigoooo...vc é o maiss foda cara...sinistroo o texto...adorei mesmo...! O q.acha de trocar de profissão..? virar colunista...vai escrever no jornal...hehehe!!!

beeeijo!!

laryy

Réquiem disse...

simplesmente fantástico!

Tudo ou nada ... disse...

É muito legal o que escreve, por ser bom nisso e tbm pq parece um filme a passar na minha frente, afinal de contas quem já não passou por isso antes ...

obs: obrigado pelos comentários, estimulam muito.

Duas disse...

a verdade dói, dói, dói.

ótimo texto, de novo!

beijo, elisa

Marilia disse...

é querido, continue assim. Quem sabe você não muda de mídia pra radator? :)
adorei o texto, também já passei por isso, ex é foda.

beijos

Elisa disse...

é. prum mídia vc tá quase um redator.
parabéns teozito.

só acho q devia ter continuado esse texto. rsrs

beijo

Thiago Fonseca disse...

Sincero eu sou e sincero permanecerei sendo, ter blog é legal? muito!, mas uma coisa que é uma "disgraça" eu disse "disgraça" é o tal do blogueiro, não pelas imagens ou textos inseridos mas sim pela sua clemência, suplicância, pedido e pentelhação por um comentário...o blogueiro é pior do que aquele tio do caroço no pescoço, o pessoal da Manasses ou qualquer outro engraxate pedindo um troco, o blogueiro pede comentário, e entra de 5 em 5 minutos no blog, ou simplesmente permanece no site e fica apertando F5 (atualizar o browser) pra ver se tem um recado novo...no fim esse tal de comentário é uma idéia miserável!

Fernanda Novaes disse...

Tudo bem , olha só , respira fundo, se acalma, não faça nada, deixem as facas na nas gavetas que é o lugar delas e lembre o revolver é do seu pai não seu... já estou ligando por socorro e estou chegando ai!

Hahahahahahahahaha... brincadeirinha, texto HONESTO! Bjos

Anônimo disse...

Texto coerente e com certeza todos aqueles que leram, viram um filme passando em suas cabeças. Lógico, todos já passaram por isso.
Te dou uma idéia meu amigo, desista de ser publicitário e se transforme num ótimo jornalista, potencial vc tem..
Parabéns Cara, texto perfeito, fantástico.

naira disse...

nossa teo, tirando q vc eh inteligente e talz e blablabla
isso eh ficçao ou realmente há uma menina assim?
ajuda ela, apresenta aquele seu amigo sequela pra moça
bjaaao

Fabi disse...

Adorei o texto.
Adorei o espaço.
Volto mais vezes, bj

Thiago Fonseca disse...

eu acho que essa galera tá fumando demais...

Tiago F. Borges disse...

Teo Netto!
Ahhh muleque!
Bacana, sabia que vc tinha blog não.
Vi no seu profile do orkut.
Também tenho um, mas faz um mês que não posto nada:
www.ociocultural.blig.com.br

Aquele abraço.

Mariana disse...

Tú és o cara!
Li todos os que tu fizestes..
é a base misteriosa do viver, é realmente fascinante!
Parabéns caro poeta.